18 de junho de 2024   
>> PÁGINA INICIAL/TEXTOS
..:. TEXTOS

Em relação com a entrada da instituição de ensino médio aqui estudada ficam os serviços administrativos da Faculdade e do Hospital, os serviços sociais, os serviços de estatística, as consultas, socorros de urgência, instalações de diagnóstico (centro médico) e de tratamento e lazaretos para os doentes a admitir sem estudo prévio nos ambulatórios. Ali entram também o público do grande anfiteatro e as visitas dos doentes.
Nesta zona central ficam as anatomias – normal e patológica –, com entrada privativa, as operações no cadáver, a histologia e a embriologia, a histologia patológica, a fisiologia, a farmacologia, a química, a farmácia, as análises clínicas, a bacteriologia, a parasitologia, a patologia geral, a fotografia e a microfotografia e – é indispensável frisar – a assistência dentária.
O ensino da estomatologia e a odontologia ficará em pavilhão à parte, como a higiene, a patologia experimental, a escola de enfermeiras e outras necessidades da assistência e do ensino que surgem frequentemente.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Ainda na zona corte fica o serviço de operações, com oito salas, duas delas com raio X privativos. O serviço operatório tem uma instalação comum de esterilização, preparação de material e de doentes, transfusões, laboratório e conservação de sangue.
No piso que cobre as salas de operações, e onde ficam as salas de observações para isolar os alunos, permitindo-lhes ver as intervenções, há pequenos laboratórios para exames extemporâneos e salas para casos sépticos. No serviço de urgência não se pratica a alta cirurgia, e por isso está ligado, por um elevador, com o bloco operatório do hospital.
Uma clínica, sob a direcção de um professor catedrático, tem quatro unidades para o serviço geral e duas para o serviço complementar, a cargo de um professor auxiliar ou agregado.
As camas de cada unidade são em número de vinte e três, repartidas em duas salas de cinco leitos, uma de oito e outra de três; dois quartos individuais, para os casos de grande assistência clínica e de curta hospitalização, e além dos vinte e três leitos há um quarto de isolamento, para os doentes atingidos de delírio agudo ou para os agonizantes, em condições de permitir às famílias assistir aos moribundos sem penetrar na vida da unidade clínica. Uma tranquilidade absoluta é assegurada aos doentes, pois que nem a admissão nos diferentes serviços clínicos se fará, depois das horas regulamentares, senão pelos lazaretos.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Todas as colunas ou dentes têm seis andares, com unidades clínicas, e um rés-do-chão, onde ficam os quartos dos doentes pensionistas, a sala de cursos, o laboratório privado da clínica, a consulta dos professores, o gabinete e a biblioteca do chefe de serviço, comunicando facilmente com as secções de diagnóstico e de tratamento, laboratórios gerais de mecano, hidro e fototerapia, raios X e fotografia, secções de grande desenvolvimento nos Hospitais de Lisboa e do Porto.
No Hospital de Lisboa, por virtude das condições do terreno, esta secção ocupa dois pisos, e só nisto os dois Hospitais . de Lisboa e do Porto – podem ser diferentes quando se cumprir a segunda étape do Hospital do Porto, como foi previsto.
E de grande utilidade colocar ao nível do medical center o rés-do-chão das clínicas, mas a sua ligação vertical às unidades de hospitalização dará grande comodidade aos serviços docentes.
Nos cinco dentes da fachada sul estão colocadas as clínicas médicas e cirúrgicas, tenso estas sob a sua dependência a propedêutica cirúrgica e a ortopedia. Esta dispõe de uma grande consulta externa e de excelentes instalações de tratamento.
Nos dentes das clínicas médicas existem também a clínica das doenças do aparelho digestivo e da nutrição e a das doenças de pele e sífilis; mas no dente central, onde fica a propedêutica médica, as duas unidades superiores, facilmente ligadas aos laboratórios de fisiologia, são destinadas ao estudo do homem são e de determinadas doenças do trabalho.

(Continua)

(Parte XLVII de …)


15 Anos de Obras Públicas – 1.º Vol. Livro de Ouro 1932-1947 (047)

(Fonte: 15 Anos de Obras Públicas – 1.º Vol. Livro de Ouro 1932-1947 – Novos Edifícios Escolares. Hospitais – Instituto Português de Oncologia. Francisco Gentil – Presidente das Comissões Técnicas dos Hospitais Escolares e do Instituto Português de Oncologia)

Consultar todos os textos »»

 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES