21 de maio de 2022   
>> PÁGINA INICIAL/TEXTOS
..:. TEXTOS

À frente do Exército Português, pois, unido na mesma aspiração de redenção patriótica, proclamo o interesse nacional contra a acção nefasta dos políticos e dos partidos e ofereço à Pátria enferma um Governo forte, capaz de opôr aos inimigos internos o mesmo heróico combate que o Exército deve aos inimigos externos.
Viva a Pátria!
Viva a República!
a) General Gomes da Costa

Às I0 horas da noite do dia 31 estavam concentrados no Entroncamento, à ordem do general Gomes da Costa, dois mil homens, tendo já aderido então a guarnição de Lisboa e havendo-se colocado a Marinha ao lado do Exército.
Depois do Governo ter pedido a demissão, voltaram a reunir-se com o ministro da Guerra, José de Mascarenhas, os comandantes da guarnição militar de Lisboa, resolvendo-se entregar a defesa da Ordem Pública a Infantaria I, Cavalaria 2, Artilharia 3 e Grupo a Cavalo de Queluz, que para isso se foi concentrar no Alto da Ajuda.
Pelas 5 horas da manhã do dia 31 era enviada à imprensa a seguinte nota oficiosa:

«O tenente de Infantaria, sr. Carlos Vilhena, membro do Comité Revolucionário, acompanhado dos delegados, srs. capitão Mendes Cabeçadas, tenente Francisco Granger e João Morais Camacho, foram pela madrugada de hoje à presidência da República, onde, após uma conferência com o sr. Bernardino Machado ficou resolvido entregar ao Comité Revolucionário e ao sr. general comandante da I.ª Divisão, a Manutenção da Ordem pública.
Em seguida foi determinado que o Governo Civil fosse ocupado militarmente, sendo o policiamento da cidade feito unicamente por forças do Exército.
Aguarda-se a vinda do sr. comandante Cabeçadas, comandante Ochoa e capitão Jaime Baptista (fora a Setúbal tentar levantar a respectiva guarnição) para, reunindo o Comité, se escolher o Governo.
As tropas de Lisboa aderiram ao Movimento na sua totalidade.
Foram mandados soltar todos os presos por motivo deste movimento revolucionário.»
Em Nine, o coronel David Rodrigues, ante a decisão dos seus camaradas, resolve também aderir à Revolução, conjuntamente com o coronel Leite de Magalhães, comunicando-o a Gomes da Costa que lhe agradece e lhe pede continue com o comando da coluna mista.
Entretanto, Gomes da Costa abandona Braga e segue para o Porto, onde é recebido delirantemente pela população, ao mesmo tempo que o general Sousa Dias se demite do comando da Divisão.

(Parte XXXVII de…)


A Arrancada de 28 de MAIO de 1926 (37)

(Fonte: Óscar Paxeco - 1956 – A desorientação do Governo que por fim se demite)

Consultar todos os textos »»

 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES