13 de julho de 2020   
>> PÁGINA INICIAL/TEXTOS
..:. TEXTOS

E perante esta realidade, como agir? No que nos respeita não temos dúvidas. Embora sendo revoltante a persistência da campanha de falsidades, não nos deixaremos abater por ela nem seguiremos a política para que nos pretendem empurrar. Porque, uma vez que é em nome de interesses que lhes são próprios que outros nos atacam, acatar os seus desejos seria renunciar à nossa política – que representa os nossos interesses e os dos nossos povos – para adoptar a política de outrem e servir, portanto, os seus interesses. Sabemos, assim, que a «imagem exterior» de Portugal, sobretudo no tocante à sua política ultramarina, vai persistir. Vamos refutá-la sem quartel, como temos feito, embora com pouca esperança de obter resultados imediatos; mas mesmo que as não aceite, é bom que a opinião pública internacional conheça as nossas razões – que havemos de impor e que se resumem no compromisso, que temos conseguido manter, de sem descurar a preocupação com o crescimento económico e o progresso social, defender o Ultramar, como fizemos noutras épocas. E defendê-lo porquê? Permito-me dar a resposta, em conclusão, na palavra do Presidente Marcelo Caetano, em discurso pronunciado por ocasião do segundo aniversário da sua investidura:
«O Ultramar tem de ser defendido porque estão lá milhões de portugueses, pretos e brancos, que confiam em Portugal, que querem continuar a viver sob a nossa bandeira e a gozar a nossa paz, e que não admitem a hipótese de ser entregues à selvajaria dos que, nos últimos dez anos, têm dado mostras mais do que suficientes dos ódios que os animam e da ferocidade que os conduz.
O Ultramar tem de ser defendido porque temos a consciência de defender uma obra de valorização dos territórios e de dignificação das pessoas que se está a processar em termos de que nos podemos justamente orgulhar.
O Ultramar tem de ser defendido porque não nos é lícito deixar de corresponder à confiança demonstrada na Pátria portuguesa pelos que, em todas as províncias, estão a trabalhar, a investir, a criar com um entusiasmo admirável…
Nesse objectivo e na sua execução se consubstancia a nossa realidade nacional.


Imagem Exterior e Realidade Nacional (15)

Conferência pronunciada pelo embaixador de Portugal no Brasil, Dr. José Manuel Fragoso, na Escola Superior de Guerra, em 21 de Outubro de 1970
O Ultramar tem de ser defendido, págs. 29 e 30

Consultar todos os textos »»

 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES