22 de outubro de 2017   
>> PÁGINA INICIAL/LIVRO DE VISITAS
..:. LIVRO DE VISITAS

Clique aqui para assinar o Livro de Visitas. Deixe-nos a sua mensagem, diga-nos o que pensa sobre o nosso site.

Página seguinte »»

21/10/2017 18:37:05

O Conselho de Ministros aprovou um apoio de 400 milhões de euros às vítimas dos incêndios.
Penso que seria de pensar duas vezes e revestir a medida das maiores cautelas.
Já não há dúvidas de que os fogos, na sua grande parte e de maior expressão - porque pensados e postos em função dos locais e melhores condições climatéricas -, têm origem criminosa.
Tal origem resulta dos benefícios econômicos que os criminosos retiram do fenômeno, quer por via dos bens que vendem, quer por via dos serviços que prestam ao Estado, para efeitos de prevenção e de combate aos fogos.
Não sendo, de todo, contra o apoio do Estado aos desafortunados, vítimas dos incêndios, só espero, por um lado, que daqui não nasça mais um incentivo ao crime, para quem quer casa nova ou salvar uma exploração ou empresa deficitária e, por outro lado, que isto não sirva para o Estado, com o dinheiro dos contribuintes activos, se substituir à responsabilidade das seguradoras, com o inerente envelope para o partido e para os decisores.
Seja como for os 400 milhões necessários para a catástrofe deveriam sair integralmente dos bolsos dos responsáveis políticos.

Jose Anes- Viseu TOPO

20/10/2017 12:42:26

PARTIDOS POLÍTICOS = ASSOCIAÇÕES MAFIOSAS E CORRUPTORAS
Os interesses do Estado estão entregues a indivíduos que são guindados aos lugares da gestão e administração pública não pela sua competência e valores mas antes pela sua militância partidária, previligiando clientelas que os enriquecem, quer durante o exercício da função quer a posteriori.
Acresce que a isto se soma a total desresponsabilizacão pelos resultados da sua actuação, remetendo-se para uma conveniente responsabilidade política a escrutinar em acto eleitoral que, por força da alternância, leva ao esquecimento e posterior reelegibilidade.
De tudo isto resulta que a estrutura administrativa do Estado se encontra minada pelo sectarismo partidário, portador de interesses conflitantes e completamente divorciados do interesse público.
Qualquer destes indivíduos que seja obrigado a demitir-se, é-o para de imediato ser agraciado com um novo e mais rentável lugar pelo seu partido político.

José Anes- Viseu TOPO

19/10/2017 22:54:49

PELO MENOS ISTO
O Instituto Português da Atmosfera e do Mar (IPMA) está a avisar que o risco de incêndio vai voltar a aumentar já a partir do dia 21, pelo menos até dia 25 de Outubro.
Se a Proteção Civil não poder reunir mais bombeiros. Se não conseguir reactivar mais meios aéreos.
Pelo menos, contem com os militares que estão nos quarteis e ponham-nos a vigiar as florestas. Não com a função especifica de apagar os fogos, mas com a sua presença evitar os incendiários e alertarem os bombeiros do inicio dos fogos. Podendo até, nalguns casos, com algumas ferramentas manuais, eliminar os pequenos fogos.
Também poderão ocupar alguns postos de vigia e antecipadamente dar o alerta.
Possívelmente outras medidas podem ser tomadas com custos baixos.
Pelo mínimo façam isto.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

19/10/2017 09:01:50

No tempo de S.Exa., existiam os guardas florestais, que viviam em casas do Estado, em permanência, nas matas. Acabaram com eles e o resultado está à vista.
Bem dizia Salazar... viver em democracia é bom, o difícil é viver em democracia.

Raúl Seixas - Coimbra  TOPO

18/10/2017 20:44:47

PARTIDOS POLITICOS= ASSOCIAÇÔES MAFIOSAS E CORRUPTORAS
O que se passou com os incêndios não é um problema de ministros; Isto é um problema de sistema.
Desde o dia 25.04.1974 que os interesses do Estado são vendidos a retalho pelos políticos e funcionários públicos que pululam nos órgãos, organismos e estrutura administrativa do Estado.
Esta deriva, decorrente, inicialmente, da necessidade de os partidos políticos se financiarem, foi sancionada pela Magistratura do Ministério Publico e pela Magistratura Judicial - veja-se o que aconteceu com o fenómeno das facturas falsas, que resultou abafado - alastrando depois a todos os servidores do Estado, escorados na impunidade da atuação dos partidos.
Pode, por isso, afirmar-se que o problema nasce com a existência de vígaros de longa data (mantidos afastados do poder pelo Estado Novo e pela consciência ética impoluta de SALAZAR) e seus descendentes que se estruturaram em partidos e saqueiam o Estado em prol dos seus próprios interesses.

Jose Anes- Viseu TOPO

16/10/2017 01:15:14

A SAGA DOS INCÊNDIOS
Os responsáveis são licenciados e com mestrados, mas a quem falta experiência. Estarão na Proteção Civil por “amizade” e não por serem conhecedores dos procedimentos correctos. Talvez por isso ignoram que existe um liquido antifogo que misturado com a água, retarda a progressão das chamas. Era uma ajuda a não desperdiçar.
A informação que tenho é de que é bom e barato.
Quanto ao não ser usado no combate aos fogos, é um mistério.
Ou então estamos mesmo no deixa arder.
Mas está tudo bem.
O povo, muito solidário, depois oferece uns milhões.
É já um hábito.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

08/10/2017 16:54:04

O PAIS CONTINUA A ARDER
O povo em pânico abandona as suas casa. A floresta em chamas destruindo espécies raras avança sem resistência. Os bombeiros impotentes pouco podem fazer. O meios aéreos, dizem que reduzidos a um terço, não chegam para tanto fogo.
A incompetência da proteção civil é notória. As populações aterrorizadas fazem o que podem para defenderem os bens e a vida. Os espanhoes já usam calda retardante do fogo. Em Portugal talvez seja um produto desconhecido. A força aérea proibida de intervir salvando bens e vidas. Chegou a estar preparada, mas, o processo foi desactivado. Porquê e em beneficio de quem?

Parece que a politica é o deixa arder.
Depois, generosamente o povo, oferece milhões.

E é assim a democracia que nos impuseram.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- SANTARÉM TOPO

30/09/2017 15:20:09

As primeiras eleições livres e isentas, durante a República, foram autorizadas e apoiadas pelo Estado Novo. Se hoje votamos devemos a Salazar.

Rosa Maria Conceiçāo- Faro TOPO

28/09/2017 09:32:09

Salazar, que falta nos fazes...

António Andrade- Lisboa TOPO

26/09/2017 23:41:06

Olá!
Estou muito contente pelo regresso do "Obreiro da Pátria"
Cumprimentos.

Antunes da Silva- Odivelas TOPO

25/09/2017 23:15:23

PEDRO HUMBERTO
Amigo que por este sitio costumava dar o seu testemunho, mas que há vários anos deixou de marcar presença. Hoje dia 25 de Setembro é a data do seu aniversário. Esteja onde estiver, aqui ou Além, só desejo que esteja Feliz.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

09/09/2017 21:28:50

NÃO SABIA
Através da leitura da revista da Deco/Proteste, fiquei a saber que se der mais de 500 euros a alguém sem os declarar ao Fisco, posso estar a cometer uma infracção. Arrisco-me a uma coima entre 25 e 3750 euros.
Mas não me admiro. Em democracia vale tudo.
E o Doutor Salazar é que era fascista.
É fartar vilanagem.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

09/09/2017 04:09:57

Sem dúvida, a figura maior de Portugal, até à actualidade.

Júlia Morais de Bettencourt- Palmela  TOPO

26/08/2017 07:52:56

A História é cíclica, a paz entre os povos, ou a que aparentemente reina, mantem-se enquanto os interesses económicos ditarem a supermacia dos fortes.
O desiquilíbrio ou ganância, provocam desentendimentos e a luta pela sobrevivência. É assim desde o mais pequeno interesse até à defesa dos países. Nestes tempos conturbados, avizinha-se mais um conflito que pode ser fatal para o mundo.
E é neste particular que a diferença se coloca. Numa terceira guerra mundial, o mundo não contará com a inteligente neutralidade de outro homem, que como Salazar, saiba impor no conflito, a luta pela paz.

Jorge Oliveira- Lisboa TOPO

19/08/2017 23:01:55

SE FOSSE EM PORTUGAL
A mulher polícia que em Cambrils, matou vários terroristas, tem a sorte de pertencer à policia espanhola. Se pertencesse à polícia portuguesa, nesta altura estava suspensa, iria a tribunal, seria condenada e teria de indemnizar as famílias dos terroristas.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

18/08/2017 22:43:12

BANCO DE PORTUGAL GASTOU CERCA DE 6 MILHÕES DE EUROS COM ADVOGADOS
Revista de Imprensa JE
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/banco-de-portugal-gastou-cerca-de-6-milhoes-de-euros-com-advogados-196572
09 Ago 2017
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

13/08/2017 23:08:00

ALERTA
Caso pretendam e possam humanitáriamente ajudar as vitimas dos incêndios que tudo tem perdido. Entreguem-lhes pessoalmente as vossas dádivas. Procurem os que mais necessitam de ajuda e façam como aquele grupo de portugueses que vieram da Suiça entregar pessoalmente a sua solidariedade.
Não usem outros meios. Este é o seguro rápido e directo.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

23/07/2017 00:10:42

PARA QUE A MEMÓRIA NÃO ESQUEÇA
No dia 22 de Julho passou o 63.º aniversário da morte heróica do Subchefe Aniceto do Rosário, da Polícia do Estado da Índia Portuguesa, ocorrido em 1954.

Assassinado por bandos armados da União Indiana, que violando grosseiramente o Direito Internacional, ocuparam os enclaves de Dadrá e Nagar-Aveli, contíguos a Damão.

A minha respeitosa homenagem.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

21/07/2017 09:39:17

Sem dúvida que sem anular o papel da mulher na sociedade, o respeito pela família arruinou-se. A grande trave mestra do lar... que fazia a ponte entre o marido e os filhos, que mantinha o ambiente cristão e de respeito mútuo, era a mulher.
Hoje em dia, com a involução das sociedades, o terreno está cheio delas, e pior... sem respeito por elas próprias.
Direitos iguais... concordo. Mas na proporção que a vida deu à mulher e ao homem.
Mulheres assumam-se mais mães!

Luísa Quaresma- Lisboa TOPO

16/07/2017 22:46:01

Não vejo nenhuma referencia relativa ao aniversário do falecimento do Dr Salazar,como todos sabemos foi a 27 de julho.Espero que se realize algo como tem sido costume.

A Santos - Sa Maria da Feira TOPO

Página seguinte »»
 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES