24 de março de 2017   
>> PÁGINA INICIAL/LIVRO DE VISITAS
..:. LIVRO DE VISITAS

Clique aqui para assinar o Livro de Visitas. Deixe-nos a sua mensagem, diga-nos o que pensa sobre o nosso site.

«« Página anterior Página seguinte »»

17/03/2017 23:40:13

Apesar da turbulência que se vivia em 1926 e anos seguintes, foi possível encontrar um homem com a inteligência e racionalidade, do dr. Salazar.
Personificou o país e deu-lhe desenvolvimento a um ritmo nunca visto. Não basta ser inteligente. E preciso ser sério, e Salazar foi.

José Augusto- Lisboa TOPO

16/03/2017 16:41:58

Estimado Amigo A. Santos
Se a saúde (muito abalada) o permitir, também lá estarei no Sábado dia 29 de Abril. O Doutor Salazar que nasceu em 1889 faria no dia 28 do referido Mês, 128 anos.

Cumprimentos
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

16/03/2017 08:58:36

IMPORTANTE SABER E PARA QUEM QUEIRA CONSULTAR OS ARQUIVOS DISPONÍVEIS NA TORRE DO TOMBO

CÓDIGO DE REFERÊNCIA
PT/TT/AOS/D-N/1/5/18
TIPO DE TÍTULO
Formal
DATAS DE PRODUÇÃO
1961 a 1961
CONDIÇÕES DE ACESSO
Documentação pública nos termos do ponto 1, do artigo 1º, do Decreto-Lei nº 33, de 31 de Janeiro de 1985, o Arquivo do Dr. Salazar foi declarado, na universalidade dos bens móveis que o integram, coisa dominial única, constituindo propriedade do Estado.

O Decreto-Lei nº 77, de 18 de Abril de 1981, estabeleceu que a consulta pública do Arquivo do Dr. Salazar só devia ser permitida após a realização de trabalhos que garantissem o tratamento e a sua total preservação e nunca antes de decorridos 25 anos sobre a morte do seu antigo titular.

No entanto, o Decreto-Lei nº 33, de 31 de Janeiro de 1985, ao assumir que a referida proibição de consulta pública, estipulada pelo Decreto-Lei nº 77 de 1981, radicava unicamente na necessidade de salvaguardar o tratamento e conservação dos documentos, determinou que a Comissão do Livro Negro sobre o suposto Regime Fascista, que havia sido criada pelo Decreto-Lei nº 110, de 26 de Maio de 1978, acedesse livremente a todos os documentos constantes do Arquivo do Dr. Salazar, através dos seus membros ou de pessoal devidamente credenciado pela mesma entidade. Ainda segundo o Decreto-Lei nº 33 de 1985, a referida Comissão podia reproduzir no supostoLivro Negro do Fascismo em Portugal quaisquer documentos que constassem do Arquivo do Dr. Salazar, desde que não ficasse prejudicada a preservação dos documentos.

Ao consignar a transferência do Arquivo do Dr. Salazar para a Torre do Tombo, o Decreto-Lei nº 279, de 9 de Agosto de 1991, preconizou um regime de acessibilidade semelhante ao já estipulado no Decreto-Lei nº 77, de 18 de Abril de 1981. Porém, o artº 3º, do Decreto-Lei nº 279 de 1991, previu o acesso ao Arquivo, a título excepcional, antes de decorrido o prazo de 25 anos sobre a morte do Dr. Salazar, mediante a apresentação de requerimento pelo interessado, em que demonstrasse motivo relevante para a consulta. O requerimento devia ser autorizado pelo membro do Governo responsável pela área da Cultura, após parecer do director da Torre do Tombo ou do director da Biblioteca Nacional, enquanto o bem arquivístico se encontrasse nesta instituição.

A partir de 1993, o acesso ao Arquivo do Dr. Salazar passou a reger-se pelo disposto no artigo 47º, do Decreto-Lei nº 16, de 23 de Janeiro de 1993, tendo sido considerado que, em matéria de comunicabilidade de bens arquivísticos, este Decreto-Lei não prejudicava o estabelecido no artigo 3º, do Decreto-Lei nº 279, de 9 de Agosto de 1991.

A partir de 27 de Julho de 1995, cumprido o prazo de vinte e cinco anos sobre a morte do Dr. Salazar, a restrição para o acesso que a lei impunha, o Arquivo ficou aberto à consulta pública.
COTA ATUAL
Arquivo Salazar, UL-32C, cx. 708, pt.18

José Ferreira- Loures TOPO

13/03/2017 23:12:21

Não falta muito para o dia 28 de abril.Acho que era tempo de se falar algo a respeito de algum tipo de manifestação relativo ao aniversário do nascimento do Dr Antonio Oliveira Salazar.De qualquer forma se não me acontecer nada de especial lá estarei no dia 29.SE outra data for marcada,para mim me é indiferente. Sem mais um abraço do A Santos.

A Santos- Sta Maria da Feira  TOPO

07/03/2017 18:54:31

Amigo João Gomes, envio uma listagem de links retirados do youtube, referentes à vida do Dr. António Oliveira Salazar. Muitos deles feitos com matéria retirada deste site. Só significa que este site está a cumprir a sua missão, que é a divulgação da Obra de A. O. Salazar. Em boa altura reactivou esta Torre do Tombo:

https://www.youtube.com/watch?v=drCXCpE93G8
https://www.youtube.com/watch?v=GCz0n3sGTXE
https://www.youtube.com/watch?v=r3qSyk5ug98
https://www.youtube.com/watch?v=uKoME3gS3Pg
https://www.youtube.com/watch?v=MTbI2qxSoII
https://www.youtube.com/watch?v=Y3udTdQzIJg
https://www.youtube.com/watch?v=Ok_ANjaAy0k
https://www.youtube.com/watch?v=qD8-71-wyj0
https://www.youtube.com/watch?v=4RXsQ8x76fw
https://www.youtube.com/watch?v=1SwyNT2trxI
https://www.youtube.com/watch?v=wllgcVwtKxo
https://www.youtube.com/watch?v=MpzPhn14kvE
https://www.youtube.com/watch?v=mcDoUk07FvY
https://www.youtube.com/watch?v=7_Mzcf0Ef6Y
https://www.youtube.com/watch?v=foE2Rgen2_I
https://www.youtube.com/watch?v=9S_jerXhgaM
https://www.youtube.com/watch?v=jcVrPKmgET8
https://www.youtube.com/watch?v=GCz0n3sGTXE
https://www.youtube.com/watch?v=0tv9KCzlJ6o
https://www.youtube.com/watch?v=XLZ-IEi7poE
https://www.youtube.com/watch?v=ztqpjowYyCk
https://www.youtube.com/watch?v=IHOg_oSbrJw
https://www.youtube.com/watch?v=vIJiReHLaeE
https://www.youtube.com/watch?v=msczUEWGKbY
https://www.youtube.com/watch?v=J0xhdQPpdfI
https://www.youtube.com/watch?v=IHOg_oSbrJw
https://www.youtube.com/watch?v=7p-LJSFFUYg
https://www.youtube.com/watch?v=QLDEa9G6Qio
https://www.youtube.com/watch?v=rdUU-w8QiGE
https://www.youtube.com/watch?v=WjcNjph-rWE
https://www.youtube.com/watch?v=ZuoT-DLomek
https://www.youtube.com/watch?v=zMOUxROFX70
https://www.youtube.com/watch?v=SkeVuo738fM
https://www.youtube.com/watch?v=_jpGvJxvJgA
https://www.youtube.com/watch?v=W4OrTQMJR10
https://www.youtube.com/watch?v=eOyA7r3LlNI
https://www.youtube.com/watch?v=XmbiGHpmFDo
https://www.youtube.com/watch?v=-VxoAAQrrY4
https://www.youtube.com/watch?v=eu-svebHefk
https://www.youtube.com/watch?v=q185dV7PSKw
https://www.youtube.com/watch?v=hZt9hg9_zWM
https://www.youtube.com/watch?v=aqdF2Uigfkw

Parabéns e honremos Salazar.

M. lima- Lisboa TOPO

05/03/2017 19:21:25

Na verdade se falarmos de ditaduras, nunca em Portugal houve tanto medo. ao nível financeiro, político, social, da instabilidade que as nossas vidas têm. Comparar os tempos de Salazar com os dias de hoje, requer uma consulta de psiquiatria. A única coisa que quem é do contra sabe dizer, é falar sobre a PIDE, a repressão, mas de forma infundada.
A PIDE era apenas uma polícia como existe em todo o mundo. A PIDE terminou, mas continuam as PIDES todas por esse mundo fora. O mérito da PIDE portuguesa estava no facto de defender a honra de Portugal e não deixar o comunismo e os malandros tomarem conta do aparelho de Estado, da produção e restantes organismos que identificam um país a sério. A repressão para ter existido, basta pensar. Porquê que se reprime? Certamente porque existe alguem que anda a remar contra a maré. E se mesmo reprimindo, os do contra continuavam a existir, é porque a repressão não era assim tão forte. Salazar era humano e queria o melhor para as pessoas. Por isso se deram algumas fugas (oferecidas), que deram aos foragidos, foros de heróis. Tudo mentira. O Estado deu-lhes cobertura para se ver livre da peste. O Estado Novo não matava. Reprimia e tentava recuperar aquela malandragem. É a diferença entre a democracias de então e a de agora. Agora a democracia é a do mais forte. Antigamente o digno representante do povo, Salazar, distribuía a democracia em porções qb. Tens menos, levas mais. Tens mais, ficas por aí. E quando alguem pedia um correctivo, que remédio...
Confrontar os dois tempos e denegrir o dr. Salazar é no mínimo revelador de ignorância e má fé.

Jaime Silva- Lisboa TOPO

05/03/2017 16:18:16

Aos Caros leitores deste site,

Ao amigo Senhor João Gomes, creio que seremos muitos os que lhe agradecemos por ter reativado o site d´"O Obreiro da Pátria", pois a grande maioria da população nascida a partir do ano de 1974 desconhece quem foi realmente o Dr. Salazar, e como são correntemente "envenenados" pela propaganda do atual sistema "democrático", tenderão constantemente a interpretar de modo errado aquela que foi a grandiosa obra de quem nunca conheceram mas de quem pensam saber tudo. O papel pedagógico deste site é, pois, fundamental!

Aliás, sem ter graça nenhuma, tudo isto me parece muito ironicamente engraçado pois fala-se na ditadura dos outros tempos. quando, em boa verdade, a ditadura nunca foi tão forte como nos dias de hoje. Se não vejamos: hoje em dia, os meios informáticos permitem ao Estado controlar quase tudo sobre todos: onde vivemos, onde gastamos, donde recebemos, o quanto recebemos, onde temos contas bancárias, a que bancos devemos e quanto devemos ... e, não bastando tudo isto, por um qualquer detalhe de menor importância bloqueiam-nos contas bancárias, penhoram-nos casas, punem-nos de forma severa se cometemos uma qualquer erro mesmo que pouco relevante!

Onde está, pois, a tão falada liberdade se são muitos os atualmente perseguidos, e até expropriados, devido a uma qualquer insignificância ? Por exemplo: ainda não há muito tempo que me apercebi dum imóvel na zona do Cacém a ser leiloado pela Administração Tributária devido a uma dívida fiscal de ... 480 euros. Por exemplo: muitas são hoje as pessoas perseguidas pela Segurança Social por dívidas que não têm, ou que legalmente prescreveram há muitos anos!

Nos tempos da minha vida anteriores ao 25 de Abril de 1974 nunca vi ninguém da minha família ser perseguido fosse por quem fosse, e os rendimentos que iam acumulando com base no seu trabalho nunca estiveram ameaçados ...
A vida podia ser dura, mas havia confiança no futuro!

Onde está, pois, a tão falada democracia dos dias de hoje, quando a perseguição hoje movida a cidadãos sérios e honestos bate recordes nunca vistos no Estado Novo?

Melhores cumprimentos a todos.

António Marques- Lisboa TOPO

02/03/2017 21:02:26

Exmos senhores:
Na sequência de emails anteriores, e uma vez que este site é dedicado à memória da vida e obra (e à valorização, acrescento) do Dr. António de Oliveira Salazar, pretende-se recolher e informar o mais possível da documentação relativa ao ex-Presidente do Conselho, venho por este meio dar a conhecer uma documentação pouco conhecida.
Em 1968, a então Corporação do Crédito e Seguros editou, em dois volumes intitulados Doze Anos na Pasta das Finanças - 1928-1940, a legislação económica e financeira desse período, relativo, como se sabe, a uma notória recuperação financeira, talvez única na história do nosso país.
Essa legislação, assinada pelo Dr. Salazar, e composta em grande parte de orçamentos e quadros contabilísticos, talvez provavelmente só interesse hoje a um historiador que estude a história económico-financeira do país. Porém, essa legislação tem preâmbulos e conclusões finais de conteúdo político e doutrinário de valor geral, e suponho que não muito conhecidos, do Dr. Salazar - na linha, é claro, dos seus conhecidos e publicados Discursos.
Aqui fica a referência.

Carlos Luz- Portimão TOPO

27/02/2017 23:05:42

Salazar foi considerado o maior investidor de todos os tempos. A honestidade é uma coisa muito bonita.

Aurélio A. Mendes- Santarém TOPO

26/02/2017 19:29:34

É com imensa alegria que escrevo neste espaço, um bem haja a Deus, á Pátria, á Família.

António Florindo Morgado Marques- Portalegre TOPO

26/02/2017 18:01:36

ESTES SÃO OS PAÍSES COM MAIS OURO GUARDADO
PORTUGAL ESTÁ NA LISTA
Copiado em 19 de Fevereiro de 2017. https://www.noticiasaominuto.com/economia/740892/estes-sao-os-paises-com-mais-ouro-guardado-portugal-esta-na-lista

1º - Estados Unidos da América - Reservas de ouro oficiais: 8.133,5 toneladas © REUTERS
2º - Alemanha - Reservas de ouro oficiais: 3.378,2 toneladas © REUTERS
3º - Itália - Reservas de ouro oficiais: 2.451,8 toneladas © REUTERS
4º - França - Reservas de ouro oficiais: 2.435,8 toneladas © REUTERS
5º - China - Reservas de ouro oficiais: 1.823,3 toneladas © REUTERS
6º - Rússia - Reservas de ouro oficiais: 1.498,7 toneladas © REUTERS
7º - Suíça - Reservas de ouro oficiais: 1.040 toneladas © REUTERS
8º - Japão - Reservas de ouro oficiais: 765,2 toneladas © REUTERS
9º - Holanda - Reservas de ouro oficiais: 612,5 toneladas © REUTERS
10º - Índia - Reservas de ouro oficiais: 557,8 toneladas © REUTERS
11º - Turquia - Reservas de ouro oficiais: 474,4 toneladas © REUTERS
12º - Taiwan - Reservas de ouro oficiais: 422,7 toneladas © REUTERS
13º - Portugal - Reservas de ouro oficiais: 382,5 toneladas ©
14º - Arábia Saudita - Reservas de ouro oficiais: 322,9 toneladas © REUTERS
15º - Reino Unido - Reservas de ouro oficiais: 310,3 toneladas © Reuters
Nota: Estaríamos em oitavo lugar se tivéssemos ainda as 865,936 toneladas de ouro que o Doutor Salazar nos deixou.

Artur Silva- Santarém TOPO

24/02/2017 20:39:30

Desculpem-me aqueles perante os quais o que vou dizer é conversa repetida, uma vez que venho assinalar mais uma vez esta extraordinária biografia do Dr. Oliveira Salazar, pronunciada pelo Pe argentino Alfredo Saenz. Vale a pena ouvir! É uma hora e meia de excelência, em língua espanhola. É uma conferência que merecia até uma audição pública, tal é a importância que lhe atribuo. Aqui vai a ligação:
https://www.youtube.com/watch?v=rPaLFXPm2v8

Carlos Luz- Portimão TOPO

23/02/2017 14:55:20

Boa tarde

Estou a escrever algumas linhas, mais em revolta/desilusão ou qualquer outro sentimento do género.
De pessoas reconhecidas internacionalmente com todos os defeitos que possa ter tido, como qualquer mortal, o nosso Prof. Dr. Oliveira Salazar foi e é um caso que apenas não é reconhecido na sua terra - Portugal. Morre qualquer bicho careta, é assinalado e etc, etc, como é neste momento o aniversário da morte de um simples "cantor". Zeca Afonso e ainda mais com aquela cantilena do ELES COMEM TUDO E NÃO DEIXAM NADA. Mais do que nunca essa máxima se aplica atualmente nos tempos da democracia que vivemos!!!!
Ninguém assinala uma data alusiva a uma pessoa honesta e competente que dedicou a sua vida à Pátria (coisa que hoje ninguém sabe o que é - patriotismo), sepultado humildemente numa campa rasa e já se fala de um "traste" como Mário Soares, para o Panteão Nacional. Sinceramente. Consporcar um espaço daqueles???? tenham dó
Já desabafei um pouco

fernando moreira- Figueira da Foz TOPO

22/02/2017 22:44:03

Testemunho importante:

Monumentos: Salazar deixou um legado ideológico que ainda marca a identidade nacional, diz investigador Luís Correia:
Uma tese de doutoramento da Universidade de Coimbra, que analisa a reconstrução dos monumentos nacionais durante o Estado Novo, conclui que Salazar deixou um legado, ainda hoje vivo, de símbolos que materializam a imagem salazarista do país.
Durante o Estado Novo, foi aplicado um plano de investimento para a reconstrução de monumentos que durou até aos anos 1960, e que procurou "recuperar" a ideia de "um passado perdido, de um passado heróico", com as estruturas medievais e manuelinas a serem pensadas "como o grande bem da nação", disse à agência Lusa o autor da tese e docente do Departamento de Arquitetura (Darq) da Universidade de Coimbra (UC), Luís Correia.
As reconstruções, apesar de não terem sido desenhadas por Salazar, correspondiam à imagem de um passado renovador que o ditador português pretendia colar ao país, sublinha.
Os monumentos, nota a tese, foram usados por Salazar como "restaurados símbolos de memória e poder, que a maciça classificação e consequente instituição das zonas de proteção de caráter geral e especial pretendiam salvaguardar como propriedades da sua regência".
"Constituíram-se, assim, documentos privilegiados na (re)definição da imagem de Portugal mas, igualmente, veículos superiores da afirmação de uma estratégia ideológica global", sublinha a tese de Luís Correia, que entende que os monumentos são hoje, "quiçá, os responsáveis máximos pela permanência na terra da obra forjada por Oliveira Salazar, concorrendo, de modo crucial, para a identidade do território e, porventura, para a própria identidade da Nação".
Nesse plano de reconstrução de monumentos nacionais, como castelos ou igrejas, acabou por se impor uma arquitetura denominada de "terceira via", que representa um certo paradoxo.
Apesar de Salazar rejeitar a ideia de modernidade, as intervenções apontam para uma relação entre a tradição e o progresso, o nacionalismo e o modernismo.
Para Salazar, o passado não podia estar associado a "uma imagem de património em ruínas ou abandonado", recuperando "muitas vezes uma imagem primitiva que não existia", salienta Luís Correia, realçando que se procurava "criar uma pureza que não se sabia que existia - era uma imagem mais pensada do que real".
Sinal dessa mesma intervenção é o Castelo de São Jorge, que antes das obras efetuadas durante o Estado novo "estava totalmente obstruído".
Nas obras do castelo, como noutros casos, foi potenciada "a heroicidade do passado", colocando-se "ameias e torres" no monumento, que acabou por ficar "à vista, a regular o quotidiano" de Lisboa, explicou.
"Hoje, quem vai ao Castelo de São Jorge vê uma obra de época medieval, mas que na verdade não o é", constata o docente do Darq, recordando que o próprio castelo é depois usado em propaganda do regime.
O caso mais evidente desse uso é o do cartaz "Deus, Pátria, Família", da série "A Lição de Salazar", que resume a pedagogia e moral salazarista, em que o monumento surge na janela da casa de uma família portuguesa, com a bandeira portuguesa hasteada.
De acordo com Luís Correia, desde o Estado Novo "houve algumas obras" de intervenção em monumentos nacionais, mas hoje "não há um projeto agregador - as obras são feitas avulso".
"Se se olhar para a obra pública, para o projeto [de Salazar] para os monumentos nacionais, pensou-se o território de forma coerente, o que nunca mais existiu", sublinhou.
"Não há um projeto que pense o território e que pense o desenho do território no seu conjunto. Na altura, havia esse pensamento e era político", explanou, salientando que os monumentos nacionais, ainda hoje, "são importantes para a identificação do que é ser português".

Abílio Marques- Lisboa TOPO

21/02/2017 08:20:38

Verifico que este memorial está novamente online. Que seja para ficar à memória do grande homem que é Salazar.
Um bem haja.

Aristides H. P. Pereira- Coimbra TOPO

20/02/2017 15:07:25

Humberto Delgado in "Da Pulhice do Homo Sapiens", 1933, quando ainda tinha alguma clarividência: “Quem extinguiu o déficit? Quem extinguiu a dívida flutuante externa e quem baixou a interna? Quem baixou o juro dos bilhetes de tesouro? Quem desafogou a tesouraria? Quem acabou com a fama de caloteiro ao meu país? Há quantos anos, senhores, é que a nossa moeda não merecia respeito? Quem estabilizou a moeda? Desde quando é que há uma ordemzinha em Portugal? Quando é que apareceu o regionalismo? Quando é que a província passou a ser gente? Quando é que começaram a vir ministros de fora de Lisboa? Quem acabou com as bombas, os assaltos à mão armada aos bancos, as revoluções trimestrais? Sim, quem? Quem passou a fazer exposições no estrangeiro brilhantes e sem roubalheiras? Mas há mais: Então comprou-se a imprensa mundial em pêso, para dizer bem da Ditadura portuguesa, odientos «reviralhistas?»”

Carlos Correia- Fafe TOPO

18/02/2017 19:55:05

Informo de mais um pequeno comentário, em espanhol, da vida e obra do Dr. Oliveira Salazar. São quase 15 minutos. Não é muito profundo, de facto, mas suponho que seja de alguma importância assinalar aqui, para que, mais uma vez, a memória seja aclarada... mesmo em espanhol...

https://www.youtube.com/watch?v=Cjz4FGXVs-U

Carlos Luz- Portimão TOPO

17/02/2017 23:44:47

Com os devidos agradecimentos ao Jornal Económico, pela justiça que faz à História de Portugal. Salazar, um homem grande demais para a pequenez dos homens políticos de hoje:

Site da Presidência exclui Salazar da lista de Presidentes da República

O site da presidência tem uma lista de todos os Presidentes desde que há República em Portugal. Mas Oliveira Salazar, que foi essencialmente chefe do Governo, mas que ocupou o cargo de chefe de Estado de 18 de Abril de 1951 a 9 de Agosto de 1951, foi excluído.

O site da Presidência omite Oliveira Salazar da lista de presidentes, mas inclui Spínola.
António Oliveira Salazar (que foi chefe do Governo de 1932 a 1968), chegou a ser Presidente de Portugal (Interino) no período que decorreu de 18 de Abril de 1951 a 9 de Agosto de 1951. Tendo como antecessor Óscar Carmona e como sucessor Francisco Craveiro Lopes.
Podia dizer-se que o pouco tempo que ocupou a função explica a ausência da lista de presidentes, mas a verdade é que António Spínola que foi Presidente da República de 15 de Maio de 1974 a 30 de Setembro de 1974 (tendo antecessor Américo Thomaz e como sucessor Francisco da Costa Gomes) foi incluída na lista de todos os Presidentes de Portugal.
Uma lista que vai desde Manuel de Arriaga (1911 a 1915) até Aníbal Cavaco Silva (2006 a 2016), os nomes dos Presidentes da República desfilam numa lista de 19 pessoas, onde na verdade foram 20 os Presidentes da República até agora, com Marcelo Rebelo de Sousa a ser o vigésimo primeiro.
Depois de Manuel de Arriaga, o chefe de Estado foi Teófilo Braga. Seguido por Bernardino Machado; Sidónio Pais; João do Canto e Castro; António José de Almeida; Manuel Teixeira Gomes; José Mendes Cabeçadas; Manuel Gomes da Costa; Óscar Carmona; Salazar; Francisco Craveiro Lopes; Américo Thomaz; Francisco da Costa Gomes; Spínola; António Ramalho Eanes; Mário Soares; Jorge Sampaio; Cavaco Silva e Marcelo Rebelo de Sousa.

De Salazar pode-se dizer tudo, até mal. Mas na realidade, quem foi, reza a História... felizmente!

Jaime Silva- Lisboa TOPO

15/02/2017 19:50:13

Para quem apenas acompanhou a Abrilada, no Continente, foi tudo uma festa de cravos. Mas quem estava em África e passou por todo aquele processo, não esquece os mais de dois milhões de mortos, assassinados barbaramente pelos movimentos democráticos de libertação.
É fácil de perceber que estes presos no Continente, tiveram melhor sorte. Foram-lhes respeitados os direitos, apesar de uns serem assassinos e outros terroristas. Em África, morreram indescriminadamente, homens, mulheres e crianças.

Carlos Antunes- Faro TOPO

15/02/2017 12:09:42

Os presos referidos actuavam no Continente . No Ultramar haveriam outros mas também em número insignificante.
Após o 25 de Abril foram presas mais de 2600 pessoas da estrutura do Estado Novo em Portugal Continental , sem falar nas perseguições, exonerações, saneamentos e outras medidas que levaram á morte, á guerra, á fuga e á expropriação dos bens de milhões de Portugueses .

José Ferreira- Loures TOPO

«« Página anterior Página seguinte »»
 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES