27 de março de 2017   
>> PÁGINA INICIAL/TEXTOS
..:. TEXTOS

Como V. Exa. sabem, pelos decretos já publicados, nós subordinamos tudo, neste momento, à necessidade do equilíbrio das contas públicas. Ora nunca houve possibilidade de equilibrar duas somas senão diminuindo uma e aumentando a outra, ou operando sobre ambas ao mesmo tempo. Parece que há já quem se ria dizendo: assim haveria muito quem resolvesse o problema, e renasce mais uma vez a eterna questão do ovo de Colombo.
Esse equilíbrio conquista-se com aumentos de receitas e reduções de despesas; exige pois sacrifícios. É, como já tive ocasião de dizer, falando aos Srs. comandantes, uma política impopular.
Podem e devem fazer-se esses sacrifícios?
Eu reputo-os imprescindíveis; direi mais, eles têm de fazer-se: a nós só compete escolher a forma de fazê-los. Há, por assim dizer, um equilíbrio natural em todas as coisas, e por isso também nas contas públicas.
Quando existe o deficit, procura-se o equilíbrio recorrendo ao crédito; quando este se não pode utilizar, emite-se moeda, desvalorizando-a. Mas dessa desvalorização resultam sacrifícios. De modo que toda a questão está em pedir sacrifícios claros, que podem salvar-nos, ou disfarçados, que custam o mesmo e em geral não resolvem nada.
Mas não tenhamos ilusões; as reduções de serviços e despesas importam restrições na vida privada, sofrimentos, portanto. Teremos de sofrer em vencimentos diminuídos, em aumentos de impostos, em carestia de vida. Sacrifícios, e grandes, temos nós já feito até hoje, e infelizmente perdidos para a nossa salvação; façamo-los agora com finalidade definida, integrados em plano de conjunto, e serão sacrifícios salutares.
É a ascensão dolorosa dum calvário. Repito: é a ascensão dolorosa dum calvário. No cimo podem morrer os homens, mas redimem-se as pátrias!


A BATALHA DA RESTAURAÇÃO FINANCEIRA DO PAÍS (02)

(«Os problemas nacionais e a ordem da sua solução» — Discurso aos oficiais da Guarnição Militar de Lisboa, em 9 de Junho — «Discursos» ), Vol. 1, págs. 17-18 e 18) - 1928

Consultar todos os textos »»

 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES