19 de novembro de 2017   
>> PÁGINA INICIAL/LIVRO DE VISITAS
..:. LIVRO DE VISITAS

Clique aqui para assinar o Livro de Visitas. Deixe-nos a sua mensagem, diga-nos o que pensa sobre o nosso site.

Página seguinte »»

16/11/2017 12:21:53

POLICIAS AGREDIDOS
Julgo que querem agora equipar as forças policiais (não digo autoridade ou agentes dela, porque não a tem), de equipamento mais adequado para se defenderem das agressões que o Estado impunemente permite, com leis que punem os agentes, beneficiando os malfeitores que regra geral saem em liberdade sem qualquer penalização enquanto o agente vai para o hospital.
Para possibilitar alguma defesa aos polícias, sugiro que equipem cada agente com “pistolas” Taser. Julgo que não são caras e apesar de estarmos em período de contenção em que cortam em médicos e enfermeiros que precisamos mais de mil. Que cortam nos Guardas prisionais, nos inspectores do SEF, que são precisos pelo menos mais duzentos. Que cortam nas auxiliares escolares com escolas a não funcionar por falta de vigilantes. Que cortam em tudo. Pelo menos não cortem na integridade física dos que tem a função de nos proteger.
Permitam aos agentes policiais evitarem a humilhação de levar cargas de pancada o que não dignifica o tal estado de direito e evita despesas hospitalares e dias de baixa ao serviço.
As “pistolas” Taser não matam, apenas atordoam e impedem a agressão. Naturalmente não detêm a marcha dum carro que desobedece à ordem de paragem. Mas como defesa no corpo a corpo, dá por certo a garantia de parar o agressor, com o mínimo de danos físicos.
Aproveito para uma opinião pessoal, sem qualquer preconceito de “género”. As agentes policiais ficam muito bem com o cabelo em rabo de cavalo, mas em termos de segurança é um erro enorme. Pelo menos enrolem-no na nuca em carrapito. Desculpem as senhoras agentes, mas julgo que são as principais interessadas. E não se preocupem, ficam bonitas na mesma.
Assim como alvitro aos homens que usem coquilha. Eles sabem porquê.

Artur Silva -- Santarém



Artur Silva- Santarém TOPO

14/11/2017 15:15:33

BABÁRIE IMPUNE COM GOVERNO INDIFERENTE
Duzentos e oitenta agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) foram espancados em serviço este ano, avança o “Correio da Manhã” de segunda-feira dia 13 Novembro 2017. Todos precisaram de tratamento hospitalar.
Os políticos indiferentes permitem a barbaridade e nada fazem para o evitar protegendo os agentes e castigando severamente os agressores. Estes são enviados em paz pelos tribunais, mesmo os que tem longo cadastro.
Todos sabemos que qualquer malfeitor fica impune se agredir, na maioria das vezes selváticamente, os agentes de autoridade, que desta não tem nenhuma.
Se o agente tem a infeliz ideia de, para evitar a barbara agressão, se defender, tem um processo disciplinar, fica suspenso vários meses sem ordenado ou este muito reduzido e ainda tem de indemnizar o agressor.
E já tem muita sorte se não for preso e expulso da corporação.
Criticam a falta de policiamento junto das discotecas. Mas quem é o agente policial que tem a ousadia de se meter numa briga com essa gente. Só se for para levar um enxerto. E se não for parar ao hospital já está com sorte.
Um canal de televisão, noticiou que um membro do governo não permite que os militares da GNR (julgo ser esta a corporação), não podem estar dentro do quintal do ministro a fazer a segurança, para não incomodarem o cão. Eles tem tido sorte de não ter chovido, mas à noite o frio aperta e eles ficam na rua para que o cão esteja comodamente na sua suíte canina.
Salgueiro Maia, tem paciência, mas não podes ser perdoado. Assim aja justiça divina se por acaso estiveres por esses sítios.
É escandaloso, imoral e não me venham falar em democracia.
Caixas multibanco é notícia diária com a alarme justificado das populações. Quanto ao dinheiro, parece ser o que menos interessa aos bancos. Quando não tiverem o Estado (todos nós) dá.
Existem meios técnicos para o evitar, mas não os utilizam, estranhamente, ou não.
A violência doméstica é notícia diária.
Muitos cidadãos irão passar o Natal ao relento. Dinheiro dizem que há, mas as casas continuam destruídas.
Agora dizem que os portugueses tomam muitos calmantes (benzodiazepinas?) para combaterem as insónias e a ansiedade.
No estado degradante, de miséria e de terror em que vivemos é natural.
Que pode esperar um país quando os agentes da autoridade são desautorizados e selváticamente agredidos e o estado indiferente não os protege. E a justiça dos tribunais é mandarem os bandidos em paz.
Estranhamente em muitas esquadras está só um agente. Nesta circunstância ocorre-me colocar a questão. Mesmo sem falar em agressões, se simplesmente o agente precisa de ir à casa de banho, como faz? Fecha a esquadra?
Se os políticos realmente estão interessados em repor a autoridade a quem legalmente a deve ter, sugiro, que pelo menos provisoriamente, ponham as forças armadas a ajudar os agentes policiais, porque estes são em número insuficiente e atemorizados pela proteção dada aos bandidos, vivem humilhados e receosos pelas sanções disciplinares.
Por isso não é de estranhar a lista dos que já se suicidaram e os que estão com tratamento psicológico.
Tudo isto é ridículo e vergonhoso. E ainda dizem que estamos num Estado de Direito.
Até onde irá parar esta imoralidade e degradação.
Beijos e abraços não chegam.
Nem sei se merecemos que Deus no ajude.

Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

13/11/2017 13:08:41

A propósito da utilização do Panteão Nacional

O que se passou com os jantares e festanças ali realizados RETRATA COM FIDELIDADE OS VALORES DESTE SISTEMA
Depois da vulgarização na escolha das figuras que, por reconhecimento merecido e para memória da Nação, ali devam repousar, segue-se a javardice só comparável à javardice dos dignatários deste sistema politico.
Pessoalmente dou graças a Deus pelo facto de para ali não terem sido transladados os restos mortais de sua Ex. o Sr. Presidente do Conselho Sr. Professor Doutor António de Oliveira Salazar.
Quanto mais não vale a singeleza e honradez de uma campa rasa no cemitério de Vimieiro.

jose anes- viseu TOPO

11/11/2017 16:51:51

DEMÊNCIA EM PORTUGAL
A O.C.D.E. diz que Portugal é o quarto país com mais casos de demência.
Não estranhei. Depois de ter ouvido num canal de televisão, o ex-secretário de estado Jorge Gomes, dizer que mais dez aviões para combater os fogos de Outubro passado nada adiantariam, só posso concluir que não foi incompetência mas provavelmente demência que afetou este responsável, apesar da solicitação da Proteção Civil de mais meios aéreos.
Certamente que o tal reforço não chegava para combater todos os fogos, mas pelo menos minimizava e muitas casas e floresta não teria ardido e muitos passariam o Natal no conforto das suas casas e muitos animais teriam comida, o que não está nem vai acontecer tão cedo.
A O.C.D.E. tem razão. Só estranho é o quarto lugar.
Proponho que todos os que desempenham ou venham a exercer cargos de responsabilidade pública e em quem os cidadãos devem confiar, se sujeitem a rigorosos exames médicos para avaliar as suas capacidades.
Aproveito para recomendar que não fechem o Hospital Júlio de Matos.

Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

08/11/2017 17:06:14

CAIXAS MULTIBANCO ASSALTADAS
Os assaltos às caixas multibanco, acontecem diariamente perante a indiferença dos bancos.
Não sou técnico nesta área, mas julgo que existe a possibilidade do derramando de um liquido sobre as notas que as inutiliza. Porque não usar o sistema em todas as caixas multibanco.
Até poderiam, com um letreiro e através dos meios de comunicação, avisar os assaltantes que as caixas tinham a referida tinta que deixa as notas marcadas.
Haverá alguma impossibilidade técnica?
A impassívidade dos bancos é muito estranha, ou não.
Será que os bancos não se preocupam porque sabem que quando não tem dinheiro o Estado põe lá milhões?
Nesta democracia tudo é possível.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

26/10/2017 22:57:22

A DESSALINIZAÇÃO
A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, diz que dentro de 50 anos vamos ser torrados, assados e grelhados.
Na verdade as condições climatéricas agravam-se todos os anos. As temperaturas aumentam cada vez mais e ano após ano a situação tem-se agravado. A falta de água cada vez é e será maior. A população mundial continua a aumentar mas a água potável é apenas 3 por cento de toda a àgua existente no planeta.
No caso português, a situação já está catastrófica. As barragens estão no minimo e o Alqueva não está a resolver a situação. Tanto os animais como os produtos que a terra produz estão em perigo pela falta de água e a prespectiva é de piorar.
Aliaz todo o mundo está a ser afectado.
Mas julgo que podemos minimizar a situação. Temos é de começar já e melhor seria termos começado antes. Numa altura em que os governantes parecem estar dispostos a gastar o que for necessário, é uma boa altura para e com urgência, começarem a preparar os meios necessários para a dessalinização da água do mar. A tecnologia existe há muitos anos e o processo tem-se aperfeiçoado. Em Portugal já está a ser usada na ilha de Porto Santo com proveito evidente da população que mesmo duplicando ou triplicando tem água potável, a usina de dessalinização está preparada para o futuro.
Usando a tecnologia já em prática noutros países e aproveitando a experiência de Porto Santo, lógicamente recomendo que a solução é dessalinizar, retirando da água salgada o cloreto de sódio, deixando o liquido pronto para beber após os necessários processos de purificação.
Será caro, mas com tanto mar á volta do nosso país a matéria prima não falta. Quanto ao custo, é assunto dos governantes.

Se os politicos não são capazes, que se demitam.
Ao serem eleitos, só esperamos que se preocupem com o bem estar de todos nós.

Assim esperamos e é urgente.

Artur Silva -- Santarém


Artur Silva- Santarém TOPO

21/10/2017 18:37:05

O Conselho de Ministros aprovou um apoio de 400 milhões de euros às vítimas dos incêndios.
Penso que seria de pensar duas vezes e revestir a medida das maiores cautelas.
Já não há dúvidas de que os fogos, na sua grande parte e de maior expressão - porque pensados e postos em função dos locais e melhores condições climatéricas -, têm origem criminosa.
Tal origem resulta dos benefícios econômicos que os criminosos retiram do fenômeno, quer por via dos bens que vendem, quer por via dos serviços que prestam ao Estado, para efeitos de prevenção e de combate aos fogos.
Não sendo, de todo, contra o apoio do Estado aos desafortunados, vítimas dos incêndios, só espero, por um lado, que daqui não nasça mais um incentivo ao crime, para quem quer casa nova ou salvar uma exploração ou empresa deficitária e, por outro lado, que isto não sirva para o Estado, com o dinheiro dos contribuintes activos, se substituir à responsabilidade das seguradoras, com o inerente envelope para o partido e para os decisores.
Seja como for os 400 milhões necessários para a catástrofe deveriam sair integralmente dos bolsos dos responsáveis políticos.

Jose Anes- Viseu TOPO

20/10/2017 12:42:26

PARTIDOS POLÍTICOS = ASSOCIAÇÕES MAFIOSAS E CORRUPTORAS
Os interesses do Estado estão entregues a indivíduos que são guindados aos lugares da gestão e administração pública não pela sua competência e valores mas antes pela sua militância partidária, previligiando clientelas que os enriquecem, quer durante o exercício da função quer a posteriori.
Acresce que a isto se soma a total desresponsabilizacão pelos resultados da sua actuação, remetendo-se para uma conveniente responsabilidade política a escrutinar em acto eleitoral que, por força da alternância, leva ao esquecimento e posterior reelegibilidade.
De tudo isto resulta que a estrutura administrativa do Estado se encontra minada pelo sectarismo partidário, portador de interesses conflitantes e completamente divorciados do interesse público.
Qualquer destes indivíduos que seja obrigado a demitir-se, é-o para de imediato ser agraciado com um novo e mais rentável lugar pelo seu partido político.

José Anes- Viseu TOPO

19/10/2017 22:54:49

PELO MENOS ISTO
O Instituto Português da Atmosfera e do Mar (IPMA) está a avisar que o risco de incêndio vai voltar a aumentar já a partir do dia 21, pelo menos até dia 25 de Outubro.
Se a Proteção Civil não poder reunir mais bombeiros. Se não conseguir reactivar mais meios aéreos.
Pelo menos, contem com os militares que estão nos quarteis e ponham-nos a vigiar as florestas. Não com a função especifica de apagar os fogos, mas com a sua presença evitar os incendiários e alertarem os bombeiros do inicio dos fogos. Podendo até, nalguns casos, com algumas ferramentas manuais, eliminar os pequenos fogos.
Também poderão ocupar alguns postos de vigia e antecipadamente dar o alerta.
Possívelmente outras medidas podem ser tomadas com custos baixos.
Pelo mínimo façam isto.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

19/10/2017 09:01:50

No tempo de S.Exa., existiam os guardas florestais, que viviam em casas do Estado, em permanência, nas matas. Acabaram com eles e o resultado está à vista.
Bem dizia Salazar... viver em democracia é bom, o difícil é viver em democracia.

Raúl Seixas - Coimbra  TOPO

18/10/2017 20:44:47

PARTIDOS POLITICOS= ASSOCIAÇÔES MAFIOSAS E CORRUPTORAS
O que se passou com os incêndios não é um problema de ministros; Isto é um problema de sistema.
Desde o dia 25.04.1974 que os interesses do Estado são vendidos a retalho pelos políticos e funcionários públicos que pululam nos órgãos, organismos e estrutura administrativa do Estado.
Esta deriva, decorrente, inicialmente, da necessidade de os partidos políticos se financiarem, foi sancionada pela Magistratura do Ministério Publico e pela Magistratura Judicial - veja-se o que aconteceu com o fenómeno das facturas falsas, que resultou abafado - alastrando depois a todos os servidores do Estado, escorados na impunidade da atuação dos partidos.
Pode, por isso, afirmar-se que o problema nasce com a existência de vígaros de longa data (mantidos afastados do poder pelo Estado Novo e pela consciência ética impoluta de SALAZAR) e seus descendentes que se estruturaram em partidos e saqueiam o Estado em prol dos seus próprios interesses.

Jose Anes- Viseu TOPO

16/10/2017 01:15:14

A SAGA DOS INCÊNDIOS
Os responsáveis são licenciados e com mestrados, mas a quem falta experiência. Estarão na Proteção Civil por “amizade” e não por serem conhecedores dos procedimentos correctos. Talvez por isso ignoram que existe um liquido antifogo que misturado com a água, retarda a progressão das chamas. Era uma ajuda a não desperdiçar.
A informação que tenho é de que é bom e barato.
Quanto ao não ser usado no combate aos fogos, é um mistério.
Ou então estamos mesmo no deixa arder.
Mas está tudo bem.
O povo, muito solidário, depois oferece uns milhões.
É já um hábito.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

08/10/2017 16:54:04

O PAIS CONTINUA A ARDER
O povo em pânico abandona as suas casa. A floresta em chamas destruindo espécies raras avança sem resistência. Os bombeiros impotentes pouco podem fazer. O meios aéreos, dizem que reduzidos a um terço, não chegam para tanto fogo.
A incompetência da proteção civil é notória. As populações aterrorizadas fazem o que podem para defenderem os bens e a vida. Os espanhoes já usam calda retardante do fogo. Em Portugal talvez seja um produto desconhecido. A força aérea proibida de intervir salvando bens e vidas. Chegou a estar preparada, mas, o processo foi desactivado. Porquê e em beneficio de quem?

Parece que a politica é o deixa arder.
Depois, generosamente o povo, oferece milhões.

E é assim a democracia que nos impuseram.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- SANTARÉM TOPO

30/09/2017 15:20:09

As primeiras eleições livres e isentas, durante a República, foram autorizadas e apoiadas pelo Estado Novo. Se hoje votamos devemos a Salazar.

Rosa Maria Conceiçāo- Faro TOPO

28/09/2017 09:32:09

Salazar, que falta nos fazes...

António Andrade- Lisboa TOPO

26/09/2017 23:41:06

Olá!
Estou muito contente pelo regresso do "Obreiro da Pátria"
Cumprimentos.

Antunes da Silva- Odivelas TOPO

25/09/2017 23:15:23

PEDRO HUMBERTO
Amigo que por este sitio costumava dar o seu testemunho, mas que há vários anos deixou de marcar presença. Hoje dia 25 de Setembro é a data do seu aniversário. Esteja onde estiver, aqui ou Além, só desejo que esteja Feliz.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

09/09/2017 21:28:50

NÃO SABIA
Através da leitura da revista da Deco/Proteste, fiquei a saber que se der mais de 500 euros a alguém sem os declarar ao Fisco, posso estar a cometer uma infracção. Arrisco-me a uma coima entre 25 e 3750 euros.
Mas não me admiro. Em democracia vale tudo.
E o Doutor Salazar é que era fascista.
É fartar vilanagem.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

09/09/2017 04:09:57

Sem dúvida, a figura maior de Portugal, até à actualidade.

Júlia Morais de Bettencourt- Palmela  TOPO

26/08/2017 07:52:56

A História é cíclica, a paz entre os povos, ou a que aparentemente reina, mantem-se enquanto os interesses económicos ditarem a supermacia dos fortes.
O desiquilíbrio ou ganância, provocam desentendimentos e a luta pela sobrevivência. É assim desde o mais pequeno interesse até à defesa dos países. Nestes tempos conturbados, avizinha-se mais um conflito que pode ser fatal para o mundo.
E é neste particular que a diferença se coloca. Numa terceira guerra mundial, o mundo não contará com a inteligente neutralidade de outro homem, que como Salazar, saiba impor no conflito, a luta pela paz.

Jorge Oliveira- Lisboa TOPO

Página seguinte »»
 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES